Emissora: Syndication.
Emissora no Brasil: Rede Globo e Locomotion.
Transmissão Original: de 4 de setembro de 1986 a 11 de dezembro de 1986.
Duração: 30 minutos.
Temporadas: 2 (65 episódios).
Cores.
Companhias Produtoras: Tokyo Movie Shinsha.

O Desenho.


As Aventuras dos Galaxy Rangers foi uma série animada de western espacial, que ainda hoje possui uma grande legião de fãs no mundo todo. A razão de tamanho sucesso foi sem dúvida os bons roteiros e a competente animação à cargo da Tokyo Movie Shinsha (TMS Entertaiment).

Criada por Robert Mandell and Gaylord Entertainment Company, a série estreou no dia 14 de setembro de 1986, tornando-se pioneira no uso de computação gráfica (em pequenos detalhes de cenas, como visores de computadores), combinando histórias de ficção científica com um típico sentimento de western, fundindo elementos de space opera com os tradicionais elementos de fantasia: espada e feitiçaria.

Galaxy Rangers foi uma das cinco primeiras produções no estilo anime feitos principalmente nos Estados Unidos. Na época em que foi ao ar, o desenho destacou-se por ser uma atração revolucionária para as crianças, apesar disso, durou apenas uma temporada totalizando 65 episódios com 30 minutos de duração cada. Seu último episódio foi ao ar no dia 11 de dezembro de 1986.

A História.


A história se passa no ano de 2086 e começa com a vinda à Terra de dois alienígenas dos planetas Andor e Kirwin. Eles buscavam ajuda dos terráqueos, para combater o expansionista e impiedoso Império da Coroa, liderado pela Rainha da Coroa.

Após receberem a ajuda, como retribuição eles dão aos terráqueos planos para a construção do primeiro hiper-propulsor espacial, que abriria as portas do universo, capaz de viajar mais rápido que a velocidade da luz. Com isso, inúmeras colônias foram construídas em sistemas estelares afastados.

O aumento de colônias acarretou também no crescimento da criminalidade e a Terra teria que montar uma equipe de indivíduos fora de série para preservar a lei e a ordem nas novas colônias contra ameaças internas (bandidos e piratas espaciais) e ameaças externas (alienígenas e o próprio Império da Coroa). Surgiu então o BETA (Bureau for Extra-Terrestrial Affairs/ Birô para Assuntos Extraterrestres) um grupo de heróis que logo ganhou uma equipe de elite, a divisão “Ranger”.

Para combater o crime os Galaxy Rangers possuíam equipamentos de última geração incluindo naves, computadores sofisticadissimos e até cavalos andróides, como Triton, Brutus, Mel e Voyager.

Comandados por Joseph Walsh eles possuíam como sede a Montanha Beta e tinham como líder o Capitão Zachary Foxx. Todos os Rangers possuíam um implante cerebral que quando acionado potencializava ainda mais as habilidades naturais de cada um.

Entre os principais integrantes dos rangers estava Doc Hartford, um especialista em informática que utilizava uma moderna tecnologia para tirar os Cavaleiros das Galáxias das mais complicadas situações. Hartford era o mais bem-humorado do grupo; Já o líder Zachary Foxx teve sua esposa raptada pela terrível Rainha e desde então tentava reencontrar sua amada; Shane Gooseman era o mais rebelde entre os Cavaleiros das Galáxias e tornava-se invulnerável graças aos seus implantes biônicos, além de ser capaz de amplificar seus poderes mutantes transformando a pele do seu corpo no material que quiser; já a bela Nikko possuía grandes habilidades telepáticas e era a única integrante feminina dos Cavaleiros das Galáxias.

No combate a vilania o grupo contava ainda com aliados. Entre eles: Waldo, embaixador de Andor e, possivelmente, criador do Andorian, que evitava a violência, mas protegia-se com um campo de força pessoal; Zozo, o embaixador do planeta Kirwin, que se caracterizava pela sua alegria; já Buzzwang era uma andróide que no seu tempo livre gostava de dançar break.

Os Vilões.


O Birô para Assuntos Extraterrestres lutava principalmente contra o Império da Coroa, governado por uma déspota vampira que se autoproclamava “a Rainha da Coroa” e que controlava um grande número de planetas e um vasto setor da galáxia. Mas o poder da Coroa começou a ter um fim com vários planetas se separando ajudados pelos humanos. A rainha contava com uma ligação mental com cada um de seus subordinados podendo estar em qualquer lugar do império. Para manter esses “agentes” funcionando a Coroa praticamente extinguiu a raça dos Gherkhin, seres aptos para o processo de extração de energia psíquica.

O Império contava com uma grande frota de naves à sua disposição e soldados brutos que pareciam um misto de homens, alienígenas, máquinas e até mesmo clones, vestindo trajes espaciais.

Entre os inimigos do grupo estavam também os Super Soldados foragidos, Riker Killbane, Brainchild, Darkstar, Gravestone e Stingray, que derivavam da mesma experiência que criou Shane Gooseman. Eles faziam de tudo para conseguir o hiper-propulsor espacial; e o Espantalho, uma criatura cowboy enterrada em um planeta e que foi achada pelas máquinas agrícolas.

No Brasil.


As Aventuras dos Galaxy Rangers foi exibido no Brasil pela Rede Globo em 1987. O programa, a exemplo de outros desenhos da época, fez bastante sucesso ,em parte porque era apresentado em uma das principais atrações da emissora nos anos 80, o Xou da Xuxa.

Anos mais tarde foi reprisado pelo extinto canal pago Locomotion.

Foi lançado um VHS no final dos anos 90 contendo o episódio piloto do seriado. O desenho recebeu a redublagem da empresa paulista Mastersound.



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin