Direção: Marcello Fondato.
Roteiro: Vicente Coello e Jesús R. Folgar.
Ano de lançamento: 1974.
Duração: 101 minutos.
Estreia na televisão brasileira: 9 de agosto de 1987 (Rede Globo).
Cores.
Companhias Produtoras: Capital Films, Filmayer S.A. e Rizzoli Film.


A dupla de comediantes Bud Spencer e Terence Hill costumava fazer a alegria da criançada quando tinha um filme em cartaz em uma das sessões de cinema da nossa telinha. Cheios de quebra-paus engraçadíssimos e humor da melhor qualidade,  os trabalhos da dupla eram uma espécie de filmes dos Trapalhões italiano.

Em 1974 foi lançado um longa-metragem  da dupla, cheio destes elementos que todo inveterado fã dos Trinitys adora. Dupla Explosiva (Altrimenti ci Arrabbiamo), do diretor Marcello Fondato, é um dos melhores filmes já realizados com  Terence Hill e Bud Spencer como protagonistas. No filme o mecânico Ben (Bud Spencer) mora e trabalha numa oficina com o velhinho Jeremias (Luis Barbero), enquanto o malandro Kid é um andarilho que mora num trailer. O que ambos têm em comum? A paixão por automóveis, que acaba levando-os a participar de uma corrida de carros cujo prêmio principal é um Buggy “vermelho de capota amarela”, como eles insistiam em enfatizar.

O filme já começa com uma corrida enérgica, cheia de situações engraçadíssimas, onde Kid e Ben vão se mantendo na dianteira enquanto o resto dos competidores vão ficando fora da competição. O destino acaba pregando uma peça nos dois corredores que cruzam exatamente ao mesmo tempo a linha de chegada, saem dos seus carros, correm a pé e põem a mão no buggy também ao mesmo tempo. O inevitável empate leva Kid e Ben a resolverem quem fica com o carro numa aposta bem incomum: ver quem consegue comer mais salsicha e beber mais cerveja em um barzinho de um parque de diversões. Acontece que na hora da aposta o bar onde a dupla está é completamente destruído pelos capangas do mafioso “Chefe” (John Sharp) que querem o espaço do parque para construir um enorme arranha-céu. Até aí tudo bem, porque a dupla não tem nada haver com história e não está afim de interferir, isso até no meio da confusão os capangas destruírem o tal buggy e iniciarem assim uma guerra com os donos do veículo que farão de tudo para conseguir o carro de volta. Mas o chefe não está muito afim de cooperar e isso irá gerar muitos socos e pontapés bem ao estilo Trinity.

Os vilões do filme são tão engraçados quanto os próprios Terence Hill e Bud Spencer. O mafioso “Chefe” é um bom de garfo, gordo, que está sempre saboreando alguma coisa, enquanto põe ordem na casa. Seu conselheiro “Doutor” (Donald Pleasence) é um gringo maluco cheio de ideias subversivas e de certa forma o grande responsável pela não devolução imediata do buggy (“Eles ser crianças mimadas, você tirou a briquedinha delas, e elas querer a briquedinha de volta, você dá? Naim, Naim!”). Eles comandam uma turma de capangas que não cansam de apanhar, com destaque para o líder Attila (Deogratias Huerta) que é humilhado num Parque de Diversões.

As lutas de Bud Spencer e Terence Hill são o ponto alto do filme, eles começam com um quebra-pau em uma academia, onde Ben distribui cascudos na cabeça dos vilões calmamente, enquanto Kid faz malabarismos usando os aparelhos de ginástica. Como sempre numa desvantagem de 10 capangas pra cada um dos Trinitys. A perseguição de motos também é hilária, ela acaba culminado numa luta em estilo medieval, tão engraçada que é difícil esquecer. Todas as brigas do filme são embaladas por uma canção interpretada pelos próprios Bud Spencer e Terence Hill, chamada “Dune Buggy”, que de tanto ser executada acaba ficando em nossa memória (e você pode recordar clicando no ícone acima).

Cansado de ver seus capangas apanharem o chefão contrata o assassino de aluguel Paganini (Manuel de Blas), um dos mais conhecidos matadores da Itália para por fim nos heróis. Ele chega com toda pressão para matar a dupla no ensaio do coral de onde Ben faz parte, mas acaba sendo humilhado também.

Kid apaixonado por Liza (Patty Shepard), uma trapezista do parque que sofria com ameaça de perder suas terras para os mafiosos, e Ben vendo o amigo Jeremias (Luis Barbero) ser surrado pela mesma máfia, tais fatos foram a gota d’água  para a dupla, que resolve fazer uma visitinha aos vilões em quebrarem tudo e todos para conseguir o tal buggy.

O filme é tão brilhante e implacável quanto possível, com alguns dos personagens secundários realmente engraçados. As cenas de fôlego também não são ruins, como Kid e Ben disputando pra ver quem é o melhor de pontaria arremessando pedras, ou Ben sofrendo para acompanhar o coral, enquanto Kid tenta avisá-lo de que um assassino está perseguindo os dois.

Resta correr numa vídeo locadora e pegar a fita (que é difícil de encontrar), ou se preferir assistir com a dublagem de Newton da Matta (Terence Hill)  e Sílvio Navas (Bud Spencer) vamos ter que esperar passar na TV.

ELENCO:

Personagens Elenco Dublagem – Globo
Herbert Richers
Kid Terence Hill Newton Da Matta
Big Ben Bud Spencer Silvio Navas
Liza Patty Shepard Adalmária Mesquita
Attila Deogratias Huerta Domício Costa
O Chefe John Sharp Antônio Patiño
Jeremias Luis Barbero Magalhães Graça
Doutor Tedesco Donald Pleasence Francisco José
Maestro Emilio Laguna Marcos Miranda
Capanga Rafael Albaicín Carlos Seidl
Piloto da Moto Remy Julienne Andre Luiz “Chapéu”



style=”display:inline-block;width:300px;height:250px”
data-ad-client=”ca-pub-7216971035978343″
data-ad-slot=”8029069552″>

WordPress Video Lightbox Plugin